Portugal reconhece genocídio indígena no Brasil

“DECOLONIZE o descobrimento do Brasil”, arte de Denilson Baniwa (2018), disponível na Yandê Store!

Em uma conversa com a imprensa estrangeira na noite desta terça-feira (23), o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa disse que o país “assume toda a responsabilidade” pelos crimes cometidos contra os cidadãos indígenas e negros durante o período colonial no Brasil, de acordo com o jornal português Correio da Manhã. O presidente português afirmou ainda que sugeriu ao seu governo realizar reparações pelos massacres de inúmeras nações indígenas, por escravizar milhões de cidadãos africanos e saquear bens.

“Pagar em vida é melhor do que no além” já dizia o funk indígena

Mas, em sua fala, Rebelo de Sousa não especificou de que modo essa reparação histórica será feita.

– Temos que pagar os custos. Há ações que não foram punidas e os responsáveis não foram presos? Há bens que foram saqueados e não foram devolvidos? Vamos ver como podemos reparar isso. – afirmou o presidente português aos jornalistas.

É a primeira vez que um presidente de Portugal, chefe de Estado do país, reconhece publicamente a culpa. Rebelo de Sousa já afirmou em outra oportunidade que o país deveria se desculpar pelas atrocidades do colonialismo, mas não tinha feito.

Quando foi saqueado, em 1500, Pindorama tinha mais de 5 milhões de cidadãos indígenas.

Vai reparar como? E vai começar já?

É necessário cobrar de parcerias político comerciais e de futuras relações econômicas entre Brasil e Portugal, a urgente reparação aos povos indígenas, consultando e incluindo as comunidades tradicionais em todos os âmbitos de decisões e projetos: território, saúde, educação, meio ambiente, economia, política, fortalecendo e legitimando os direitos fundamentais, assegurados pela Constituição Federal.

Que estudantes, pesquisadores e profissionais indígenas façam parte das parcerias no campo científico e tecnológico! Que todo o patrimônio e bem sociocultural, histórico, seja devolvido para suas respectivas comunidades!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Noticias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais

Pular para o conteúdo