Pelo direito de existir, pelo direito de viver! 

13 SET 2018
13 de Setembro de 2018
A Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (APOINME) vem por meio desta prestar solidariedade mais uma vez e sempre ao Povo Indígena Pitaguary por mais um atentado homicida, ao qual reflete em todos nós povos indígenas. 

A cacica Madalena Pitaguary (55), liderança indígena, foi baleada na noite desta quarta-feira (12), quando voltava para casa, na Terra Indígena Pitaguary, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A razão por tamanha agressão não se resume em apenas uma, mais de um ajuntamento de motivos instigados pelo preconceito, pela ignorância popular, pela banalidade de violências com povos indígenas porque ainda resistimos, e resistiremos a todos os golpes de extermínio de nossa existência e memória.

O desdém com que nos tratam precisa ser combatido. A carnificina etnofóbica precisa ser expurgada.

Queremos ter a garantia e o respeito do direito de existir como todo ser humano. Queremos ter a garantia e o respeito do direito de viver conforme nossas crenças, costumes e tradições. Queremos nossas terras, porque são delas e são nelas que ainda se pode encontrar biodiversidade original para o planeta.

Esperamos que a justiça dos homens se cumpra tomando as providências cabíveis e que os autores sejam punidos, para que essa sangria indígena não venha regar o ódio daqueles que querem continuar nos matando.

Pelo direito de existir, pelo direito de viver! 
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados