Líder Ashaninka que denunciou ameaças de madeireiros recebe apoio nas redes sociais contra acusação de denúncia caluniosa

18 MAR 2018
18 de Março de 2018
Foto: Divulgação Caldeirão do Huck 
Artistas, amigos, ambientalistas, indígenas, jornalistas, professores e diferentes pessoas declaram apoio ao líder Ashaninka acusado de denúncia caluniosa após relatar ameaças de madeireiros em terra indígena. Conhecido nacionalmente e internacionalmente Benki Piyãco, do Povo Ashaninka, ganhou respeito por seu trabalho, desempenho, empreendedorismo e espiritualidade.

Ele pode ser condenado criminalmente por relatar ameaças, o que é motivo de estranhamento para todos que conhecem sua atuação na defesa da sua comunidade. Depois de conflitos por ocupação de terra na cidade de Marechal Thaumaturgo no Acre, em abril de 2015,.ele fez denúncia à Polícia Federal relatando os riscos de violência que estava sofrendo, por atuar como agente agroflorestal e líder da Associação dos Ashaninkas do Rio Amônia( Apiwtxa) em sua aldeia no Rio Amônia. Os responsáveis pela investigação do caso, após ouvir os acusados, decidiram por arquivar a denúncia. Ele foi indiciado e foi aberta uma ação penal, contra o próprio indígena, pelo crime de denunciação caluniosa. Processo nº 0002685-48.2015.8.01.0002, acusado: Maldete da Silva Pianco.

A Apiwtxa recebeu o 1º lugar do Prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente, Edição 2007, categoria "Associação Comunitária", por desenvolver atividades a partir da floresta em pé, rios saudáveis e ambiente limpo.Em reconhecimento à luta do povo Ashaninka na defesa de sua terra e da fronteira do Brasil, Benki Piyãko recebeu o Prêmio Nacional de Direitos Humanos de 2004, categoria Comunidades Indígenas. Piyãko, homenageado no 'Especial Inspiração' no Caldeirão do Huck em 2017.

O Ministério Público Estadual do Acre propôs ação penal contra o líder Ashaninka, ele pode ser condenado à pena de até oito anos de prisão,  em tramitação na 1ª Vara Criminal da Comarca de Cruzeiro do Sul,  com processo em fase de alegações finais para defesa, será julgado em breve na Primeira Vara Criminal da Comarca de Cruzeiro do Sul. 

Redação Yandê
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados