CIR pede ajuda humanitária às comunidades indígenas afetadas pela enchente em Roraima

19 MAI 2017
19 de Maio de 2017

Foto: Josevaldo de Souza/ professor da comunidade Willimon/ Uiramutã

No final da tarde de ontem, 18, o Conselho Indígena de Roraima (CIR) tomou conhecimento da enchente que atinge comunidades indígenas nas regiões das Serras, Terra Indígena Raposa Serra do Sol, município de Uiramutã e na comunidade indígena Jacamim, Terra Indígena Jacamim, região da Serra da Lua, município de Bonfim/RR.

Conforme fotos e vídeos feitos pelos próprios indígenas e divulgados nas redes sociais e na imprensa local, pelo menos, 17 comunidades indígenas que ficam próximas aos rios Uailã e Maú, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, tanto no lado brasileiro quanto da Guyana, estão submersas. Tudo ficou debaixo d`água, casas, postos de saúde, escolas e outras estruturas das comunidades indígenas.


De acordo com as informações levantadas pela equipe do Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste de Roraima (DSEI-Leste/RR) que acompanham a situação na região, as comunidades indígenas atingidas são as seguintes: Rio Uialã( São Gabriel, Lage, Willimon, Prododó, Sítio São Mateus, Monte Moirá I, Monte Moriá II, Ximaral, Makuquem); e Rio Maú( No Brasil, Nova Esperança, Sítio do Sr.Vidal, Uiramuta`kem, Kuma`pai e Urinduke, e no lado da Guyana, Kanapang, Escaveira e Itabac).
A região da Serra da Lua também foi afetada com a enchente, deixando a comunidade indígena Jacamim, Terra Indígena Jacamim, a 180 km de Boa Vista, ilhada. O único acesso da comunidade indígena está totalmente alagado, com travessia sendo feito somente de canoa, barco ou aérea.    
Também como forma de pedir ajudar, direto da região, enfermeiros do Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste de Roraima (DSEI-Leste) enviaram pelo aplicativo  WhatsApp o pedido de ajuda aos indígenas que estão desabrigados, como redes, alimentos não perecíveis, roupas e cobertores. Há informação de que 65 famílias estão desabrigadas, inclusive, crianças que também enfrentam a enchente.


Diante dessa calamidade que atinge as comunidades indígenas em Roraima, o CIR reforça o pedido de ajuda aos amigos, parceiros, entidades, instituições e toda a população, para que possam somar as doações com roupas, cobertores, redes, alimentos não perecíveis, além de contribuições financeiras que serão destinadas para essa ajuda humanitária. Órgãos como a Defesa Civil, Exército Brasileiro, Secretaria Especial de Saúde Indígena foram acionados e já prestam assistência.  


Doações
As entregas das doações podem ser feitas na sede da organização indígena, localizada na Avenida Sebastião Diniz, 2630, São Vicente- Boa Vista/RR. Para contribuições financeiras, a organização disponibiliza a conta bancária: Agência: 2617-4; Conta Corrente: 8198-1(Banco do Brasil).

Hoje, pela manhã, o CIR se reunirá na Secretaria de Estado do Índio (SEI) com instituições e entidades parceiras para discutir um plano emergencial.

Para informações nos contatos: 98109-7492(Enock Barroso – coordenador geral); 99129-8002( Edinho Batista- Vice coordenador) e 3224- 8574( CIR)

As comunidades indígenas afetadas acolhem com gratidão a ajuda humanitária, nesse momento tão sofrido e de perdas, casas, plantações, animais, pertences pessoais e demais materiais, porém, com esperança e regate de vida. 

O CIR ainda apura as informações de quantos famílias estão desabrigadas, onde estão alojadas e os motivos que causaram essa enchente tão veloz, nunca vista antes, como já relatam os indígenas da região. 

                                                                  Boa Vista, 19 de maio de 2017.
Conselho Indígena de Roraima - CIR
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados