Mensagem do Keeper of the Sacred White Buffalo Calf Pipe

23 MAR 2017
23 de Março de 2017
Publicado em 26 de agosto de 2016 no Indian Country Today

Tradução para o português: Idjahure Kadiwel

Eu, Cacique Arvol Looking Horse, das nações Lakota, Dakote e Nakota, lhes peço que entendam a partir de uma perspectiva indígena o que ocorreu na América, a qual chamamos de “Ilha da Tartaruga”. Minhas palavras buscam unir a comunidade global através de uma mensagem de nossas cerimônias sagradas em torno da união espiritual de todos, cada um com seus diferentes modos de crer no Criador.

Nós fomos avisados pelas antigas profecias acerca desse tempo que nós hoje vivemos, contudo também nos foi dada uma importante mensagem sobre a solução para evitar esses tempos terríveis.

Para compreender a profundidade dessa mensagem você deve reconhecer a importância dos Sítios Sagrados e perceber as interconexões do que tem acontecido hoje, no reflexo dos contínuos massacres que estão ocorrendo em outras terras e em nossas próprias Américas.

Tenho aprendido sobre estas questões importantes desde que tinha 12 anos de idade, quando recebi o Cachimbo White Buffalo Calf Pipe e seus ensinamentos. Nosso povo tem lutado para proteger os Sítios Sagrados desde o início dos tempos. Esses lugares têm sido violados há séculos e trouxeram-nos para os problemas que encontram-se em um nível global.

Olhe ao seu redor. Nossa Mãe Terra está muito doente com essas violações, e estamos a um passo de destruir a possibilidade de uma sobrevivência nutritiva e saudável pelas gerações que virão, os filhos de nossos filhos.

Nossos anciãos têm tentado proteger nosso Sítio Sagrado chamado  das montanhas sagradas,“Sacred Black Hills”, em Dakota do Sul, “Coração de Tudo que É”, de sucessivas violações. Nossos ancestrais nunca viram uma fotografia via satélite deste sítio, mas agora essas imagens estão disponíveis – vemos que tem a forma de um coração e, quando assistida em ritmo acelerado, se assemelha a um coração pulsando.

Os Diné têm protegido a Grande Montanha (“Big Mountain”), chamando-a de fígado da terra, e nós estamos sofrendo e vamos sofrer mais pela extração de carvão e pelos processos tóxicos levados a cabo para tanto.

Os aborígenes têm avisado sobre o perigo dos efeitos epidêmicos do aquecimento global sobre os corais marinhos, que eles enxergam como o purificador do sangue da Mãe Terra.

Os povos indígenas habitantes das florestas tropicais dizem que as florestas são os pulmões do planeta e precisam de proteção.

A nação Gwich’in no Alaska teve que enfrentar a perfuração pelo petróleo no Refúgio Nacional da Vida Selvagem no Ártico (“Arctic National Wildlife Refuge”) nas planícies costeiras, também conhecido pelos Gwich’in como “Aonde a vida começa”.

As planícies costeiras são o lugar de nascimento de várias formas de vida de nações animais. A morte dessas nações animais vai destruir as nações indígenas desse território.

Enquanto esses desenvolvimentos destrutivos continuarem por todo o mundo, nós testemunharemos a extinção de muitas nações animais, vegetais e humanas, consequência do mal uso do poder da humanidade e de sua falta de entendimento acerca do “equilíbrio da vida”.

Os povos indígenas alertam que esses desenvolvimentos destrutivos causarão a catástrofe global. Há muitos e muitos ensinamentos e conhecimentos indígenas sobre os Sítios Sagrados da Mãe Terra, seus chakras e conexões com nosso espírito que certamente afetarão nossas futuras gerações.

É preciso que haja um movimento rápido em direção a outras formas de energia que sejam seguras para todas as nações sobre a Mãe Terra. Precisamos compreender os tipos de mente que continuam a destruir o espírito de toda a comunidade global. Se isso não for feito, os poderes da destruição irão nos esmagar.

Nossos ancestrais predisseram que um dia a água seria uma mercadoria vendável. Lá atrás, nessa época, isto era algo difícil de acreditar, já que a água era tão abundante, tão pura, tão cheia de energia, nutriente e espírito. Hoje precisamos comprar água potável, e mesmo assim os minerais nutritivos foram retirados – é só um líquido vazio. Algum dia a água será como o ouro, cara demais para ser adquirida.

Nem todos poderão ter o direito de beber água potável e segura. Nós fracassamos em apreciar e honrar nossos Sítios Sagrados, extraindo os minerais e as dádivas que habitam suas superfícies e subsolos como se a Mãe Terra fosse simplesmente um recurso, ao invés da própria fonte de vida.

Atacar nações e utilizar mais recursos para prosseguir a destruição em nome da paz não é uma resposta! Nós precisamos entender como todas essas decisões afetam a nação global; não seremos imunes a suas repercussões. A permissividade acerca da contínua contaminação de nossa comida e de nossa terra está afetando o modo como pensamos.

Uma “doença da mente” pôs os líderes globais e muitos membros de nossa comunidade global, com sua crença de que uma solução de retaliação e destruição dos povos, trará paz.

Em nossas profecias diz-se que o que nós atualmente confrontamos é uma encruzilhada: ou nos unimos espiritualmente enquanto uma nação global, ou confrontamos o caos, os desastres, as doenças, as lágrimas de nossos parentes.

Nós somos a única espécie que está destruindo a fonte da vida, isto é, da Mãe Terra, em nome de poder, recursos minerais, propriedades de terra. A utilização de químicos e de métodos de guerra causam um dano irreversível, enquanto a Mãe Terra torna-se cansada e não aguenta sustentar mais impactos bélicos.

Eu te convido a juntar-se a mim neste esforço. Nossa visão é pelos povos dos continentes, não importando suas crenças acerca do Criador, para tornamo-nos um em seus Sítios Sagrados para orar, meditar e comungar juntos, promovendo assim uma transformação da energia para curar nossa Mãe Terra e alcançar uma consciência universal em torno da Paz.

A cada dia que passa, eu peço a que todas as nações iniciem um esforço global, e de que lembrem de agradecer a comida sagrada que nos foi presenteada por nossa Mãe Terra, para que a energia nutricional da medicina possa ser guiada para a cura de nossas mentes e espíritos.

Este novo milênio inaugurará uma era de harmonia ou trará o fim da vida como a conhecemos. Fomes, guerras e lixos tóxicos têm sido as marcas registradas do grande mito do progresso e do desenvolvimento que comandou o último milênio.

Sobre nós, cuidadores do coração da Mãe Terra, recai a responsabilidade de inverter o curso dos poderes da destruição. Somente você é quem é capaz de decidir.

Só você – somente você – pode fazer esta escolha crucial, caminhar em honra ou em desonra a seus parentes. Sob sua decisão depende o destino de todo o mundo.

Cada um de nós foi posto aqui nesse tempo e nesse lugar para decidir pessoalmente o futuro da humanidade.

Você pensou que o Criador daria vida a pessoas desnecessárias em um tempo de tamanho perigo?

Saiba que você mesmo(a) é essencial para este mundo. Compreenda tanto a bênção quanto o fardo disto. Você mesmo(a) está desesperadamente necessitado(a) de salvar a alma deste mundo. Você achou que estava aqui para algo menor? No Sagrado Círculo da Vida, não há começo nem fim.

* * *

Arvol Looking Horse é autor dos “Ensinamentos do Búfalo Branco” (“White Buffalo Teachings”). Um advogado incansável da manutenção das práticas espirituais tradicionais, o cacique Looking Horse é membro dos Big Foot Riders, responsáveis pela manutenção da memória do massacre da aldeia dos Big Foot em Wounded Knee (Dakota do Sul, E.E.U.U.).


Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados