Mensagem da porta – voz da liderança espiritual Mapuche, Machi Francisca Linconao

23 MAR 2017
23 de Março de 2017
Foto:Fernando LaVoz
 
via mapuexpress.org
Tradução para o português:Leonarda De La Ossa Arias 

Com data de quarta-feira 22 de março de 2017, desde a Werken, Porta-Voz da Machi Francisca Linconao foi feita a seguinte declaração:

Durante os últimos dias vem circulando informação distorcida sobre a situação judicial da Machi Francisca Linconao, por isso, trazemos alguns esclarecimentos:

Na semana passada solicitou-se nos tribunais a troca regime de prisão domiciliar total pela prisão noturna, para que a Machi pudesse realizar atividades fundamentais, como a coleta de seu lawen (Plantas medicinais) em distintos territórios e a preparação de suas cerimônias, o que fica totalmente de acordo com os convênios vigentes dentro da legislação nacional e internacional (o convênio 169 da OIT).

Esse pedido não foi concedido pela juíza responsável, porém foi feita uma concessão de por 20 dias para que a Machi possa realizar atividades e a mobilizar-se exclusivamente dentro da região, o que iria começar uma vez que a resolução fosse executada, ou seja, passados 5 dias da audiência desde que não houvesse recurso de apelação, porém, infelizmente, na terça-feira 21 de março, apelaram e a audiência será realizada no tribunal dentro de uma semana.

Consequentemente, a Machi não teve a troca de regime de prisão, nem a permissão para 20 dias.

Novamente estamos diante do racismo no sistema judicial e dos autores da denúncia contra a machi, uma reconhecida autoridade ancestral e sem que exista qualquer condenação contra ela, tem sido impedida de exercer o seu direito legítimo de ser Mapuche, de realizar sua cerimônia, de seguir sanando-se e sanando aqueles quem necessitam dela.

O Estado é cúmplice direto dessa aberração contra da machi Francisca Linconao, um novo ataque às tradições culturais mapuche e diante de nossos olhos seguem ocorrendo fatos cheios de injustiça e perseguição.

Agora chamamos com mais força para a mobilização no dia 30 de março. Devemos revelar ao mundo esta grande injustiça contra uma mulher mapuche que merece o máximo de respeito, cuidado e agradecimento pelo seu trabalho.

Agradecendo a todos que nos apoiam e que queiram participar nesta luta, desde a organização que vem da família, da comunidade e da rede de apoio de Temuco, pedimos que se somem assumindo que esta luta é a luta do povo mapuche que leva séculos na resistência. Quando nós defendemos a Machi Francisca nós defendemos uma autoridade ancestral e espiritual Mapuche e também aderimos à causa do povo mapuche e a defesa da Ñuke Mapu (mãe terra).

É extremamente importante que as pessoas envolvidas nesta causa, saibam que para organizar tantas comunidades, organizações e indivíduos se faz um grande esforço e deve se manter uma linha de comunicação e de informação clara, estável e confiável.

Por isso pedimos àqueles que queiram informações do processo de modo geral se remetam apenas aos comunicados públicos e à porta-voz da Machi, que está em constante contato com a família, médicos e advogados que lidam neste caso.

PU PEUKAYALL lamuen CHALTUMAY KA !!!
Temuco, Ngulumapu, Wallmapu

22 de março de 2017

Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados