50 Filmes, vídeos e documentários para refletir sobre descolonização do pensamento

04 SET 2016
04 de Setembro de 2016















PHOTO CREDIT: LIBRARY AND ARCHIVES CANADA, 1897.

Em abril de 2015 a equipe da Rádio Yandê reuniu uma famosa lista com 12 filmes para refletir sobre descolonização da educação e povos indígenas. Selecionamos os melhores da antiga lista e acrescentamos outros.

Nossos espíritos não falam inglês
(Our Spirits Don`t Speak English, 2008)

Mostra a história obscura da antiga política do governo americano que tirou as crianças indígenas de suas famílias e as obrigou a ficar em internatos em que recebiam uma educação ocidental e religiosa para serem integrados.

Escolarizando o Mundo
(Schooling the World, 2010)
http://schoolingtheworld.org/

O filme mostra como educação ocidental foi imposta aos povos, modificando seu modo de viver e crenças. A força do etnocentrismo por trás dos projetos educacionais, que dizem querer ajudar os jovens conquistar uma vida melhor. As falhas da educação institucional e desvalorização das culturas que não fazem parte das correntes de pensamento ocidentais. O papel das escolas na época da colonização na destruição do conhecimento tradicional. 

Almires Martins - Descolonizar #Indígena (2017)
 Reel Injun (2009)

Neil Diamond, Catherine Bainbridge, and Jeremiah Hayes

 A história da representação dos nativos americanos em filmes de Hollywood. Disponível no Netflix.

Por un B'aktun Descolonizado" Documental

SINOPSIS
Todo final es un principio: como un círculo que se regenera en su eterno girar, una nueva era comienza tras el fin del 13 b'aktun.  Atrás queda el sufrimiento de pueblos sometidos, de la madre tierra ultrajada, del salvaje capitalismo que atenta contra la vida. Las voces que recoge este documental nos hablan de este renacer para los pueblos en donde debemos construir otra realidad en favor de la vida y cuyos principios deben encontrarse dentro del Buen Vivir.

Es tiempo de la descolonización de las mentes, del despertar de las conciencias y la unión de las fuerzas en resistencia llamadas ahora a confluir para la construcción de una sociedad que respete y retome las enseñanzas de nuestros ancestros.  Este nuevo b'aktun es la era en la que el sueño y las luchas por la justicia social se materializan en nuevas alternativas políticas que debemos llevar a cabo desde la unión que respete la diversidad y la identidad de los pueblos.

Un coloquio de varias voces que nos llaman a creer y trabajar por un b'aktun descolonizado.
Sip'ohi - El lugar del Manduré"

Sinopsis
Agobiado de la ciudad, Gustavo Salvatierra viaja hacia Sip'ohi, zona del impenetrable chaqueño. Allí emprende una tarea, recopilar los relatos orales del pueblo Wichí. Félix, uno de su amigos, oficiará de acompañante. Poco a poco, los relatos se transforman en protagonistas. Transmitidos de generación en generación expresan el modo en que los wichís comprenden la naturaleza que los rodea, el movimiento de la vida y el humor que los caracteriza. Expresan una cultura que Gustavo nunca olvidó y quiere hacer conocer.
Cultura Yagan. Persistencia de la Memoria. 2015

Documental realizado por quiltro films y la Corporacion de Patrimonio Etnografico, sobre el proceso de construccion de una canoa yagan, por Martin Gonzales ultimo artesano conocedor de la tecnica de construccion y filmado por su nieto que tambien fue parte del proceso de construccion.
Hijos de la tierra 

HIJOS DE LA TIERRA 
D. Aprile y S. Asara 
Documental, 40 minutos, 2013


Sinopsis: 
Diferentes actores del movimiento indígena en Buenos Aires comparten experiencias de lucha respecto de la preservación, la recuperación y la resignificación de las identidades, la espiritualidad y la educación originarias en la urbe.

[VIDEO DOCUMENTAL] THV 2009 - Cristina Calderón - La dueña del fin del mundo (Chile)
 Avaeté - Semente da Vingança (1985)

Filme de 1985, dirigido por Zelito Viana. A ficção faz referência ao massacre dos Cintas-largas ocorrido no município de Juína, no noroeste do Mato Grosso e também o relatório figueiredo. Participaram da gravação indígenas da etnia Rikbaktsa e kadiweu.
 La pequeña semilla en el asfalto, 2009.

Direção:Pedro Daniel Lopez. Mostra como Dolores Santiz, Pascuala Díaz, Floriano Enrique "Ronyk" e Flavio Jiménez, e os diferentes grupos étnicos em Chiapas no México, deixam a comunidade onde nasceram e vão para a cidade. Os conflitos, busca pelo reconhecimento étnico e novas identidades.
500 Almas, 2004.

Dirigido por Joel Pizzini, produzido pela Mixer e distribuído pela RioFilmes. Um olhar poético sobre os indígenas do Povo Guató, que chegaram a ser dado como extintos nos anos 60. O assassinato do líder Celso Guató, em 1982 e uma forte crítica à violência do processo de colonização.
 Terra dos índios, 1978.

Interessante documentário do cineasta Zelito Vianna sobre conflitos de terra. Depoimentos raríssimos do líder guarani, Marçal de Souza Tupã e outras liderança.
Le peuple invisible, 2007.

O Povo Invisível é um documentário de Richard Desjardins e Robert Monderie. É sobre o povo Algonquin no Canadá. Revela como a harmonia em que viviam foi quebrada com a chegada dos europeus no século 16.
Brincando nos Campos do Senhor
(At Play in the Fields of the Lord,1991)

Dirigido por Hector Babenco, o filme se passa na floresta Amazônica. Aventureiros norte-americanos, missionários fundamentalistas e indígenas entram em conflitos.
Enterrem meu coração na Curva do Rio
(Bury My Heart at Wounded Knee, 2007)

Baseado no best-seller de Dee Brown, o filme mostra o processo de integração indígena junto da sociedade americana, marcado por discriminação e proselitismo religioso.
Direção: Yves Simoneau
 Pisa Ligeiro (2010)
Direção: Bruno Pacheco de Oliveira. Produção e Roteiro: João Pacheco de
Oliveira. Realização: Museu Nacional/LACED.
Um painel da variedade de bandeiras e estratégias de luta que orientaram o movimento indígena brasileiro após a constituição de 1988.
Present from the Ancients - Presente dos Antigos, 2009.
O documentário sobre o Povo Xacriabá em Minas Gerais, depois de muitos conflitos por posse de terra, a busca pelo resgate das práticas tradicionais e beleza de seus grafismos.

Direção:Ranison Xacriabá e José dos Reis Xacriabá
Coordenação das oficinas:
Rafael Fares e Pedro Portella

 Índio Cidadão ? (2014)
 
O diretor Rodrigo Siqueira, mostra neste documentário as lutas do movimento indígena brasileiro, da constituinte (1987/88) até os dias atuais, com depoimentos de importantes lideranças que fizeram e fazem parte do processo de conquista dos direitos indígenas.
Baré, povo do Rio (2015)
Dirigido por Tatiana Toffoli

Os Baré vivem ao longo do Rio Xié e alto curso do Rio Negro, na Amazônia. Oriundos da família linguística aruak, hoje falam o nheengatu, língua difundida pelos carmelitas no período colonial, e integram a área cultural conhecida como Noroeste Amazônico. 
 A 1000 Voices (2014)
Diretor: David Aubrey
A história das mulheres nativas americanas no Novo México, as mudanças em seus papeis nas suas comunidades por influencia das invasões dos colonizadores.

Yndio do Brasil, de Sylvio Back (1995)

Filmes nacionais e estrangeiros - de ficção, cinejornais e documentários - revelando como o cinema vê e ouve o indígena brasileiro desde quando foi filmado pela primeira vez em 1912. São imagens que transportam o espectador a um universo preconceituoso, religioso, militarizado, cruel e mágico.
Segredos da Tribo (2013)
Diretor José Padilha
Produzido para a BBC inglesa e a HBO americana

O personagem principal é o antropólogo americano Napoleon Chagnon. Ele é autor de um estudo célebre, “Yanomamo: The Fierce People”, publicado na década de 60. Chagnon foi contestado por um ex-aluno seu, Kenneth Good, que acusou o mestre de ter manipulado dados. A guerra entre antropólogos fica ainda mais complicado quando é relatado depoimentos sobre o francês Jacques Lizot, aluno de Claude Levi-Strauss. Lizot é acusado de pedofilia por diferentes pesquisadores e também indígenas entrevistados, que comentam como ele agia aos oferecer presentes aos garotos indígenas em troca de favores sexuais. 
Vale dos Esquecidos, 2012.
Direção: Maria Raduan. Duração: 72min.
Esse documentário se passa na região do Mato Grosso,  ele fala sobre disputas de terra, conflitos com posseiros, grileiros, indígenas, fazendeiros, invasão de terras indígenas.
Xukuru Ororubá, 2008.
Dirigido por Marcilia Barros. Mostra o processo de luta e resistência de um povo guerreiro, o povo Xukuru.
Estratégia Xavante, 2007.
 
Dirigido por Belisario Franca. O documentário narra a estratégia de um cacique Xavante, que em 1973, propôs o envio de oito meninos para serem criados por famílias não indígenas na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo. Conhecendo a cultura do inimigo para melhor combatê-lo e, consequentemente, preservar a autonomia do povo.
À Sombra de um Delírio Verde

Guarani e Kaiowá, do Mato Grosso Sul, denunciam que estão sendo obrigados a deixar a terra que sempre ocuparam ameaçados pela monocultura de cana-de-açúcar, que devido ao alto lucro, se espalha rapidamente na região. Mesmo os territórios já reconhecidos como de propriedade indígena no Estado estão sendo desocupados.
Ditsöwö Tsirik – El camino de la semilla, 2012.
A jornada de um povo que resistiu na conquista espanhola, a luta para provar que suas histórias não são mitos, mas a história viva de sua gente.Depoimentos de quatro indígenas Bribri-Cabecares da Costa Rica sobre a resistência em Talamanca.
Serras da desordem (2006)
Filme de Andrea Tonacci. Carapirú é um indígena nômade que após escapar do massacre de sua familia em 1978, perambula sozinho pelas serras do Brasil Central. Levado para Brasília pelo sertanista Sydney Possuelo, vira manchete nacional e centro de polêmica criada por antropólogos e linguistas quanto à sua origem e identidade.
Calafate, Zoológicos Humanos (2011)
Diretor Hans Mülchi
A fines del siglo XIX grupos de fueguinos fueron capturados y arrastrados a Europa para ser exhibidos como salvajes en zoológicos humanos, frente a un público que pagaba por ver el “espectáculo”. El Estado chileno tuvo conocimiento y autorizó la captura y salida del país de varios de ellos.

Los onas: Vida y muerte en Tierra del Fuego (1977)
Direção:Anne Chapman, Jorge Prelorán, Ana Montes de González
Documenta la vida de la última generación de los Selk'nam, conocidos como Onas, su modo de vida, economía, ritos, cantos, tradiciones y su lenta extinción tras la colonización europea. En 1985 recibió el Gran Premio en el Primer Festival Nacional de Cine Antropológico y Social. (FILMAFFINITY)
PARA QUE SERVE A ESCOLA INDÍGENA SURUÍ
Vídeo documentário de João Guató sobre a escola indígena do Povo Paiter Suruí de Rondônia - Universidade Federal de Rondônia - Licenciatura em Educação Básica Intercultural - Campus de Ji-Paraná-RO.
 Do Bugre ao Terena (2011)
Documentário produzido com o apoio do Edital de Apoio à Produção de Documentários Etnográficos sobre o Patrimônio Cultural Imaterial (Etnodoc). Edison migra para Campo Grande (MS) com a família; Guilherme deixa a aldeia para estudar; Eliseu, para trabalhar. Três histórias de vida que se interligam na cidade em meio a tantas outras experiências que se dividem entre o encanto das possibilidades e o terror do preconceito. Como ser índio na cidade?
Índios na cidade (2013)

O vídeo produzido pela Comissão Pró-Índio de São Paulo reúne múltiplas vozes de distintos povos indígenas, traz experiências concretas de políticas públicas que vêm contribuindo para efetivar os direitos individuais e coletivos dos índios que vivem em contextos urbanos

Índios das cidades de Manaus, Boa Vista, Campo Grande, São Paulo, Osasco, Curitiba e Porto Alegre dão seu depoimento sobre os desafios de viver no contexto urbano. Indígenas relatam também as conquistas em termos de políticas públicas.

Cronicamente Inviável (2000)
Dirigido por Sérgio Bianchi e escrito por Beatriz Bracher e Sergio Bianchi. Com roteiro de Gustavo Steinberg e colaboração de João Emanuel Carneiro. Um Brasil caótico e hipócrita é o retrato pintado.
La Nación Clandestina -(1989)
El argumento plantéa como tema de discución la identidad cultural de una nación, la nación boliviana. Sebastián Mamani, un campesino llegado a la ciudad, trata de integrarse a la sociedad, negando su origen se cambia de apellido para ser parte de una sociedad que discrimina y humilla por el origen aymara o por el apellido. Aún asi el color de la piel hace que el siga siendo en el fondo un indio, tenga el nombre que tenga. Al no encajar en la sociedad citadina, se enrola como esbirro paramilitar que reprime a su própia gente. Un hombre sin valores alejado de su cultura, de su propia identidad, de los valores que le transmitieron de niño, renegado de su clase vuelve a su pueblo a pagar sus culpas, bailando la danza del 'Jacha Tata Danzante' hasta morir, el, espera borrar su pasado, anhela un renacimiento.

 Ficha Tecnica:
Año:1989  
Pais: Bolivia  
Director: Jorge Sanjinés


Into the West (2005)

Produzidos por  Steven Spielberg e DreamWorks. Contos do oeste americano no século 19, a partir da perspectiva de duas famílias, uma de colonos e outra de indígenas americanos.
Mosarambihára, semeadores do bem viver. 2016.

O Programa Mosarambihára é o resultado da metodologia criada pela  ASCURI, com apoio do Projeto GATI/FUNAI ( Gestão Ambiental e Territórial Indígena), para a formação de jovens multiplicadores dos saberes tradicionais Guarani e Kaiowá.
Sobre a Violência (Legendado, 2014) - Descolonização

O filme é uma fresca e arrojada narrativa visual da África baseada em materiais de arquivo recém-descobertos de documentários suíços de 1966-1987 que cobriram os momentos mais ousados da luta pela liberação do domínio colonial. Esta poderosa filmagem é associada com trechos do livro de referência de Frantz Fanon Os Condenados da Terra – escrito em 1960 e que ainda é uma ferramenta fundamental para compreender e esclarecer o neocolonialismo que existe hoje, assim como os ditúrbios e reações contra ele
La descolonización de los saberes, investigación, culturas de la periferia y conflictos

Estudios Peruanos de Comunicación.
Conversación con:
-Dr. Vicente Alanoca Arocutipa, antropólogo docente en la Escuela de Antropología de la UNAP e investigador del Instituto de Estudios de las Culturas Andinas (IDECA) 
-Rolando Pilco Mallea, antropólogo e investigador del Instituto de Estudios de las Culturas Andinas (IDECA) con estudios de maestría de Religiones y Culturas Andinas en la UCSM de Arequipa.
La domesticacion del testimonio: auditividad, performance y descolonización de la palabra
I Congreso Internacional Comunicación, Decolonización y Buen Vivir

Panel 3: Políticas Públicas de Comunicación en el horizonte del Buen Vivir.

Mg. Eliana HERRERA
Dr. Francisco SIERRA CABALLERO
Mg. Amparo CADAVID
Sr. Ministro Freddy EHLERS

18 de septiembre de 2015
Fernando Huanacuni: Buen Vivir - Vivir Bien
Rigoberta Menchú La Descolonización
Beverly Singer - DECOLONIZING THE ARTS: NATIVE AMERICAN AND LATINA/O MEDIA

Beverly R. Singer is Tewa and Diné from Santa Clara Pueblo, New Mexico. She is an award-winning documentary video producer whose concern is indigenous community wellness. Active in producing and writing about indigenous films, she is an Executive Board Member of the Independent Television Service (ITVS) and author of Wiping the War Paint Off the Lens: Native American Film and Video (2001) published by the University of Minnesota Press. She is an Associate Professor of Anthropology and Native American Studies and director for the Institute of American Indian Research at the University of New Mexico. She received her Ph.D. in American Studies from the University of New Mexico, M.A. in Social Service Administration from the University of Chicago, and documentary film training from the Anthropology Film Center in Santa Fe, NM.
Rhymes for Young Ghouls  (2014) 

Em Perseguição do Settler Within: Indian Schools, Truth Telling e Reconciliação no Canadá, a teoria política Paulette Regan argumenta que os canadenses devem aprender a enfrentar a história oculta e horrível das escolas residenciais indígenas para aumentar a consciência e o significado relações com os povos indígenas de hoje. Ela afirma que essa estratégia de desmarcar mitos e narrativas nacionais que ignoram o colonialismo canadense ou retratá-lo como pacífica ou benevolente, que ela chama de "perturbador", pode contribuir para o projeto maior de descolonização. [Ii] Assim, Rhymes for Young Ghouls é um filme oportuno sobre violência e vingança com potencial "inquietante"; Isso, sem dúvida, surpreenderá o público e aumentará a conscientização sobre os horrores das escolas residenciais. Como tal, Rhymes for Young Ghouls não é apenas excepcional, mas é indiscutivelmente um dos filmes mais importantes a serem lançados no Canadá em memória recente.

Rhymes for Young Ghouls is a heavy and profoundly troubling film, but one that deserves a wide audience. In Unsettling the Settler Within: Indian Residential Schools, Truth Telling, and Reconciliation in Canada, political theorist Paulette Regan argues that Canadians must learn to confront the hidden and horrific history of Indian Residential Schools as a starting point to build greater awareness of, and meaningful relations with, Indigenous peoples today. She claims that such a strategy of unlearning national myths and narratives that ignore Canadian colonialism or portray it as peaceful or benevolent, which she calls a process of “unsettling,” can contribute to the larger project of decolonization. by Sean Carleton  
Os Mil Nomes de Gaia, 2015
Ailton Krenak
Xupapoynãg - Isael Maxakali
Redação Yandê
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados