Exclusão de indígenas na Argentina faz especialista da ONU pedir ação imediata 

03 JUN 2016
03 de Junho de 2016







Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Grande parte dos povos indígenas da Argentina vivem sem acesso a serviços básicos como a saúde, habitação e água potável. No comunicado de imprensa emitido pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), o relator especial da ONU, Mutuma Ruteere, alertou sobre formas contemporâneas de racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerâncias correlatas.

“A condição atual dos povos indígenas não pode esperar e requer atenção imediata dos níveis mais altos dos governos nacionais e federais.”, comunicou.

Sua visita ao país foi entre os dias 16 e 23 de maio para avaliar a situação dos povos indígenas, afrodescendentes, migrantes e outros. Ele afirmou que apesar do quadro jurídico e institucional falta a implementação efetiva. Ele pediu para as autoridades argentinas que desenvolvam uma estratégia nacional abrangente.

“Isto é particularmente urgente para os povos indígenas, pois os atuais modos de participação falharam em fornecer a voz e visibilidade necessárias para remediar a sua longa história de exclusão e marginalização”, alertou.

As recomendações finais do relator especial vão ser apresentadas em seu relatório ao Conselho de Direitos Humanos, em junho de 2017.

Redação Yandê
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados