Morte do Rio Doce faz Povo Krenak chorar em Minas e fechar ferrovia da Vale em protesto

15 NOV 2015
15 de Novembro de 2015
















Cemitério de peixes na margem do Rio Doce e outros animais mortos (Fotos: Divulgação - Apurina krenak)

O desastre que ocorreu em Mariana, um distrito de Minas Gerais no dia 05/11 deixou um rastro de mortos, desabrigados e muito sofrimento com o rompimento das barragens de rejeitos da mineradora Samarco no Distrito de Bento Rodrigues.

A mineradora é uma empresa controlada por duas outras: a anglo-australiana BHP Billiton Brasil Ltda. e a brasileira Vale S.A., os rejeitos dessa exploração eram estocados pelas barragens que se romperam. Análises laboratoriais, encontraram partículas de metais pesados como chumbo, alumínio, ferro, bário, cobre, boro e mercúrio na água do rio. O Ministério Público acusou a empresa de negligência, por já terem sido alertados dos riscos.

O Povo Krenak possui uma ligação muito forte com o Rio Doce, chamado de "uatu", eles vivem na margem esquerda do rio, no município de Resplendor, região Leste de Minas Gerais. Eles fecharam a  ferrovia da Vale em protesto e foram notificados com uma decisão judicial dando o prazo de até a próxima terça-feira (17), para deixar o local e tentaram neste sábado (14) um acordo com a Empresa Vale. O bloqueio começou por volta das 16h desta sexta-feira (13), eles divulgaram uma carta sobre as reivindicações. 



Redação Yandê

11/11/2015
Voltar

© 2013 - 2015 YANDÊ - A rádio de todos. Todos os direitos reservados